Pesquise no site

Um Fla-Flu agitado, como pede uma semifinal de Taça Rio. Com participações do VAR e uma expulsão para cada lado, o Flamengo venceu o Fluminense por 2 a 1, com gols de Renê e Éverton Ribeiro, contra Yony González, e avançou para a decisão do segundo turno do Campeonato Carioca. A noite no Maracanã ficou marcada, também, por confusões em campo.

A DECISÃO

A final da Taça Rio será disputada no próximo domingo, ainda em local indefinido. O Flamengo aguarda o vencedor do jogo entre Vasco e Bangu, que será realizado nesta quinta-feira, às 21h30, também no Maracanã.

VAR

O árbitro de vídeo entrou em ação diversas vezes no Maracanã, mas em dois lances foi decisivo. Ainda no começo do jogo, Léo Santos marcou para o Fluminense, mas Marcelo de Lima Henrique, depois de analisar as imagens, marcou falta de Matheus Ferraz em Rodrigo Caio no começo da jogada. Depois, já no segundo tempo, Everaldo foi derrubado por Léo Duarte na área, e o árbitro só marcou pênalti depois de ser acionado pelo VAR.

EXPULSÕES

Os jogadores entraram em conflito diversas vezes durante o Fla-Flu desta quarta-feira, principalmente em lances envolvendo o árbitro Marcelo de Lima Henrique. Dois deles terminaram em expulsões: Bruno Henrique, do Flamengo, deixou as travas da chuteira na perna de Gilberto e recebeu o cartão vermelho; Ganso, do Fluminense, xingou o quarto árbitro e também foi para o vestiário mais cedo.

PRIMEIRO TEMPO

A partida começou muito agitada e com pouca bola rolando. Ainda com ânimos exaltados depois do Fla-Flu do último fim de semana, as duas equipes esqueceram de jogar bola e apenas se estranharam. Faltou tática e qualidade, sobrou vontade e velocidade. De habilidade, poucas jogadas dos adversários. Sobrou para o lateral-esquerdo Renê abrir o placar no Maracanã com um belo chute de longa distância.

SEGUNDO TEMPO

Depois de mais de 45 minutos agitados, Fluminense e Flamengo voltaram a campo em busca do resultado para chegar à final da Taça Rio. O Tricolor, como tradicionalmente com Fernando Diniz, tentava tocar a bola no campo de defesa para abrir espaço. O Rubro-Negro buscava jogadas em velocidade. Primeiro, Yony González, de pênalti, após participação do VAR, e depois Éverton Ribeiro, também de pênalti, tiraram o grito da garganta dos torcedores no estádio.
3
0 Comentários

Postar um comentário